domingo, 7 de maio de 2017

Por um Mundo Com Mais Poesia



Olho para o mundo e vejo...
Vejo mais do que me mostram as mídias...
Vejo a violência inclemente e amplamente dominante,
O ódio, a morte e as dores reinantes,
Que do rádio, das televisões, das revistas, dos jornais e das canções...
Que enchem de ódios as salas, os lares,  as mentes e os corações...
São super produção de fatos, criando inseguranças, percepções distorcidas,
Aprisionando as gentes, nos impedindo de sentir e de viver a vida...
Estou farto, nem sempre o outro é um perigo iminente,
Esse medo que torporiza e escraviza corpo e mente,
Nem sempre o mundo é esse inferno, pintado em tempos hodiernos,
A vida é muito mais do que sonhamos!
É bem, bem mais do que pensamos e sabemos!
Viver é muito mais que sonho!
A vida é muito mais que grana, status, estética e métrica...
A vida é muito mais que sangue, que medo, ódio e estatísticas,
Que números adulterados e frios para  conveniência da política...
A rima solta desses versos é minha prece ao universo,  quiçá ao seu criador,
Prece por uma realidade diferente,  onde se viva livremente sem a obrigação de temer, ou matar o vizinho,
Fazendo do amor ao próximo,  apenas um inválido mote,
É  essa prece um grito ao eterno em mim, para que eu faça a minha parte...
Que eu tenha menos medo em mim,
Que eu tenha menos medo da vida,
Que eu ame  e encontre no amar uma saída,  sem do outro nada exigir,
Simplesmente grato por ele existir e dar sentido ao meu viver,
Que una razão e emoção, desligue a televisão e viva menos mediado,
Por telas, led's, fones, food's,
Que eu seja um pouco Robin Hood,
E roube de minhas riquezas um pouco para distribuir,
Diminuindo assim, minhas misérias,
Pois ao dar de mim me enriqueço,
E a vida me traz o que mereço aumentando a minha alegria...
Que eu seja menos omisso e injusto,  que eu viva o que eu prego e busco,
Aos outros impor como lei,
Que eu seja apenas mais um verso,
Na vida-poema do universo desse Deus sempre poeta mor...
Que cada um assuma a si,
E dê um basta no fingir e passe a propagar o amor - ação,
Pintando os dias com suas cores, enchendo o ar com sua canção-vida,
Para que assim, sejamos mais humanos e encontremos uma saída,
Para esse reality show de horrores, no qual fomos aprisionados,
E que cremos ser real.
Prece que pede para que sejamos loucos o bastante, para rompermos os limites que são tão condicionantes,
Para que ousemos, ainda que por rebeldia,  tentar ser um pouco mais profundos,
Para que criemos nós mesmos um outro mundo nesse mundo,
Para que vivamos menos violentos,  menos possessivos, ególatras e ciumentos,
Para que vivamos e deixemos viver, amemos e aprendamos a ser, ainda que em detrimento do ter, pois do mundo nada se leva, afinal "caixão não tem gaveta"!
Redescubra o que é ser careta, simplório, porém genuíno,
Liberte-se dessa prisão mental, emocional,  familiar e social que faz da vida uma porcaria...
Viva por um mundo diferente,  por gente que saiba ser gente,
Que sem medo, ama, vive e sente indo bem além do só sonhar
Por um mundo com muito mais poesia,
Onde saibamos a cada dia com um olhar, poetizar,
Gerando um mundo com mais vida, menos morte e menos feridas...
Onde ninguém seja preciso morrer ou ter que matar...
Que haja um dilúvio de poesia e afogue em nós todos...
Os ódios, medos, dores e violências... E que renasçamos num unipoesia de multiversos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário